Cultura

O que motiva Everton Trintin, músico de Araraquara, a continuar?

O músico Everton Trintin começou a cantar com 10 anos de idade e nunca desiste de seguir o seu sonho e levar música a todo o público de Araraquara

Everton Trintin em Araraquara

Divulgação

Ser músico não é algo tão fácil e glamouroso como muitos pensam. Principalmente, se esse músico viver numa cidade do interior do Brasil, como em Araraquara, onde as oportunidades são menores. Mas, mesmo em meio às adversidades, o músico Everton Trintin não desiste, desde quando começou a cantar, aos dez anos de idade. Sobre o que o motiva, suas influências e detalhes de suas apresentações, o músico falou para a nossa equipe neste bate-papo. Veja só:

Everton como você começou a cantar? Foi na infância?
Eu comecei a cantar por volta dos 8 anos de idade, com as músicas que meu pai cantava para mim. Aí, eu ganhei um DVD do Elvis Presley com 10 anos e foi quando eu realmente comecei a cantar de vez.

E você sempre gostou de sertanejo?
Sim, eu sempre gostei de sertanejo, ainda mais do Zezé di Camargo, da dupla Chitãozinho e Xoróró, e Edson e Hudson!

Quais as suas maiores influências na música?
Talvez um avô músico que não cheguei a conhecer, mas eu levo Jerry Adriani, Elvis Presley e Xororó como as três maiores influências para mim.

LEIA TAMBÉM
+ Djamila Ribeiro participa de bate-papo aberto e gratuito no Sesc de Araraquara
+ Reggae na Praça será realizada neste domingo (20) com entrada gratuita
+ Há quase 10 anos, ONG auxilia gestantes e bebês de forma gratuita em Araraquara
+ Levando o heavy metal dos anos 80, banda Blixten de Araraquara lança novo trabalho
+ Cobertura: Show com Everton Trintin no Armazém da Vila Bar

Hoje, você vive da música?
Vivo sim.

E você já pensou em desistir? O que te faz continuar sempre?
Pensar em desistir de uma vez não, mas sempre dá uma insegurança, um certo “medo” pelo incerto. Acho que o meu sonho fala mais alto, talvez a vontade do meu avô que por alguns motivos não conseguiu ir adiante, mas a música em si é algo maravilhoso!

Como é o público em Araraquara?
Vejo o público araraquarense como um público bem eclético, colocando vários estilos em um espaço! Mas o cenário sertanejo acaba sendo o maior cenário em si. É um público que gosta de uma agitação nas músicas.

E como é a sua rotina, ensaia todos os dias?
Eu estudo guitarra e violão pelo menos umas três vezes por semana e meus ensaios são de segunda a noite e algum outro dia semanal.

Você também compõem?
Tenho alguns rabiscos, nada tão profissional na minha visão. Digamos que sou bem mais intérprete do que compositor.

Qual a música que mais te emociona?
São momentos e fases, cada música mostra sua emoção no momento. Posso citar várias de Jerry, Elvis e Roberto Carlos, entre outras milhares. Mas talvez , uma música que sempre me marcou – e o o pessoal já acostumou de tanto que eu toco em meus shows – é “Ah se Deus me Ouvisse” do Chitãozinho & Xororó.

Qual o seu maior sonho em relação à música?
Acho que poder viver disso, fazendo com que as pessoas conheçam minhas canções (sendo elas compostas ou não por mim), fazendo com que marque-as, de alguma maneira, um sentimento bom.

O que sente quando sobe ao palco?
A sensação é indescritível, acredito que já não seja mais o Everton Trintin ali, mas sim, um turbilhão de emoções em cada música, fazendo com que todos se divirtam do mesmo modo que eu estou.

Quem ainda não foi num show seu, o que pode esperar?
Eu levo desde músicas românticas até mesmo a agitação de uma “balada”, tendo momentos que fazemos brincadeiras como “refrões que me fazem relembrar”. Saio do estilo sertanejo e passo por todos os outros, tocando músicas que marcaram minha época, como Ls Jack, Sandy e Junior e Bon Jovi, entre outros.

Para conhecer mais o trabalho do músico Everton Trintin, acesse: www.facebook.com/oficial

Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *