Cotidiano

Há quase 10 anos, ONG auxilia gestantes e bebês de forma gratuita em Araraquara

Você conhece a ONG Bebê a Bordo? Ela atua em Araraquara há dez anos, promovendo o cuidado e atenção à gestantes e bebês de nossa cidade

ONG para bebês e gestantes em Araraquara

Foto ilustrativa

“Não pode fazer isso”. “Cuidado, ele será assim”. “Mas você ainda não resolveu isso?” – palpites em como uma mãe deve criar o seu filho não faltam. Mas, quantas destas pessoas estão dispostas a cuidar e auxiliar essa mãe que, além das próprias dificuldades, tem que guiar uma nova vida? Pouquíssimas, não é mesmo?

Michele Assalve, de Araraquara, sentiu na pele tudo isso quando foi mãe aos 15 anos. Por isso, em agosto de 2018, ela fundou a ONG Bebê a Bordo, que promove palestras, encontros e cuidados com as mães e seus bebês de forma gratuita. Hoje, a ONG conta com dez voluntárias e atende 25 mães por mês. Em entrevista à nossa equipe, Michele comenta mais detalhes sobre a Bebê a Bordo. Confira:

Como surgiu a ONG em Araraquara?
A Associação para Mulheres Bebê a Bordo de Araraquara é uma organização sem fins lucrativos, que tem como finalidades incentivar o fortalecimento familiar e os vínculos afetivos entre mães, pais e filhos, no propósito de não existir rompimentos de laços familiares durante a vida. Proporcionar o acesso a serviços socioassistenciais a adolescentes e mulheres adultas durante e após a gestação e aos seus familiares. Promover a defesa e garantias de direitos das adolescentes e mulheres adultas gestantes, das nutrizes e seus bebês, e de suas famílias, referentes à: à vida, à alimentação, à educação, ao esporte, à saúde, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e a convivência familiar. Estimular e desenvolver hábitos e atitudes saudáveis da gestante, que contribuam para a sua saúde e de seu bebê e oferecer informações e atividades educativas sobre a maternidade.

LEIA TAMBÉM
+ “Pint of Science”, projeto que leva ciência para os bares e restaurantes, chega em Araraquara
+ Nacional “Aos Teus Olhos” e outros dois filmes estreiam em Araraquara
+ Gusttavo Lima e Hungria farão show em Araraquara
+ Levando o heavy metal dos anos 80, banda Blixten de Araraquara lança novo trabalho

Meu nome é Michele Assalve e fundei a instituição 18 de agosto de 2008, junto ao um grupo de amigos e familiares. Fui mãe aos 15 anos e, por experiência própria, sabia da necessidade e a carência da situação das adolescentes e mulheres adultas gestantes a terem acesso a informações e orientações sobre a maternidade, e o quanto isso impacta principalmente na vida futura desse bebê. A instituição acredita que gerar uma vida é algo muito especial e de grande responsabilidade, e que essas vidas farão grande diferença no futuro.

Como é a atuação da ONG? Como funciona?
O “Grupo de Apoio às Gestantes” é um projeto que visa proporcionar o conhecimento e apoio as gestantes residentes no município de Araraquara, com a finalidade de levar melhorias na qualidade de vida delas e principalmente de seus futuros bebês. O projeto tem o objetivo de promover a defesa e a garantia de direitos das gestantes e seus futuros bebês, incentivar o fortalecimento familiar, elevar autoestima das gestantes, suprir necessidades materiais básicas para o bebê e proporcionar o apoio alimentar daquelas gestantes que necessitam. Conscientizar as gestantes participantes de alguns assuntos importantes, tais como: a responsabilidade de se manterem saudáveis, tanto fisicamente como psicologicamente, durante a gestação, para que não afetem o bom desenvolvimento do bebê; as responsabilidades do pós-parto, que incluem desde cuidados básicos do bebê a educação moral e ética da criança. O projeto acontece na sede da instituição de janeiro a dezembro, atendendo em média 100 gestantes, bebês e mães no pós-parto anualmente em todas as atividades propostas, sendo adolescentes e adultas. O projeto contribuirá durante e depois da gestação, de forma positiva, integradora e enriquecedora. Assim proporcionando a participante e ao bebê a redução de riscos, de violência, de problemas de saúde a da própria vida. As atividades com as gestantes são realizadas às sextas-feiras das 13h30 às 16h30, em um período de 2 meses e duas semanas a cada grupo de gestantes, sendo 4 grupos anualmente com no máximo 25 participantes. Nos encontros dos grupos são realizados: palestras, aulas práticas e dinâmicas, que são ministradas por uma equipe multidisciplinar. Após o parto, a nutriz e o bebê são acompanhados por seis meses. E às quintas-feiras, quando as mães se reúnem no subprojeto “Encontro de Bebês” junto de seus bebês para participarem de oficinas, vivências, bate papos, dança do ventre no sling com seus bebês, etc.

Quem pode participar?
Mulheres gestantes ou que já pariram, de qualquer idade, sem distinção de raça, crença religiosa, ideologia e política e condição social, residentes no município de Araraquara, seus bebês e familiares.

Tem algum custo?
Não, tudo é gratuito.

Como a ONG é mantida?
Através de doações de pessoas fisicas e juridicas, e a realização de eventos.

São quantas voluntárias? Ainda há vagas? Quem quiser ser voluntário, o que tem que fazer?
Somos em 10 voluntários, e estamos muito precisando de mais pessoas que queiram ajudar. É só entrar em contato pelo telefone (16) 3357-2931 as quartas-feiras, quintas-feiras e sextas-feiras, no período da tarde das 13h30min às 17h.

Como vocês veem a importância desta ONG para Araraquara?
A Primeira Infância é o período que vai desde a concepção do bebê até o momento em que a criança ingressa na educação formal. Isso quer dizer que a Primeira Infância engloba a gestação, o parto e os primeiros anos de vida da criança. No Brasil, consideramos que a Primeira Infância acaba quando a criança completa seis anos de idade.
Araraquara é um município situado no centro do Estado de São Paulo, a estimativa de população para 2015 era de 226.508 habitantes. Foram 2815 nascidos vivos (lugar do registro) no município em 2013, segundo o IBGE. No município, instituições e projetos voltados para a Primeira Infância, no período da gestação, parto e primeiros meses de vida do bebê, são raros. Temos sim o pré-natal na rede pública de saúde, mas que é voltado somente para a saúde da gestante e de seu bebê, e que por sinal, de acordo com muitos depoimentos, falta humanização por parte da equipe de saúde, as gestantes não se sentem acolhidas e saem de lá com muitas dúvidas. Também temos as creches da rede pública que atendem bebês nos primeiros meses de vida, porém devida a superlotação dessas instituições, os bebês não recebem os devidos estímulos. Além disso, não são todos os bebês que vão para a creche nos primeiros meses de vida, devido à falta de vagas ou por motivos pessoais da mãe. Enfim, constatamos que em nosso município temos muitas instituições e projetos voltados para crianças (a partir dos 6 anos) e adolescentes, porém uma grande deficiência deles para a primeira infância. A Primeira Infância é um período muito importante para o desenvolvimento da criança e as experiências dessa época são relevantes para o resto da vida, mesmo aquelas que acontecem durante a gestação e enquanto o bebê é pequeno, ainda não sabe falar e nem tem memória apurada dos fatos que acontecem à sua volta.

Vocês sabem quantas mulheres são atendidas por mês?
Uma média de 25 mães por mês.

E de que forma essa atuação na ONG mudou a vida de vocês?
Na instituição é alta a rotação de voluntários, poucos estão há muitos anos com nós. Mas eu que estou desde o início, sempre observei em nossas reuniões de equipes o quanto os voluntários se sensibilizavam com as dificuldades que muitas mães tinham, financeiramente, psicologicamente, etc, já que parte do nosso público sempre foi de pessoas em situação de vulnerabilidade, e muitas ações foram feitas pra ajudar individualmente muitas gestantes em dificuldades, e essas ações sempre partiram de voluntários. Então eu acredito que a atuação de cada voluntário em nossa instituição teve um significado importante na vida de todos; nos tornou pessoas mais sensíveis aos problemas alheios e principalmente aprendemos a ouvir o próximo.

Serviço:
ONG Bebê a Bordo
Local: Casa da Criança, onde fica nossa sede atualmente.
Endereço: Rua Dom Pedro I, n°1298, Vila Xavier, Araraquara/SP.
Telefone: 3357-2931
Para saber mais, acesse: www.facebook.com/ONG

Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *