Cotidiano

Araraquara está entre as 20 melhores cidades do Brasil em desenvolvimento social

A classificação é da Urban Systems

por do sol em araraquara

Foto: Mapio.Net

Um estudo da consultoria de negócios Urban Systems aponta que Araraquara está entre as 20 melhores cidades do Brasil em desenvolvimento social.

O município subiu do 28º lugar, em 2016, para o 17º em 2018, o que reflete o impacto dos diversos programas sociais da Prefeitura para o combate à exclusão social e a melhoria da qualidade de vida.

O estudo integra o ranking das 100 melhores cidades do Brasil para se fazer negócios, que é dividido em quatro eixos principais: desenvolvimento social, desenvolvimento econômico, infraestrutura e capital social.

São analisadas todas as 310 cidades acima de 100 mil habitantes.

O IQM (Índice de Qualidade Mercadológica) de Araraquara em desenvolvimento social é de 4,037, bem próximo aos 4,507 registrados por São Caetano do Sul, que lidera esse ranking.

Araraquara tem índice semelhante a cidades como São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Carlos e Limeira.

Programas sociais
Desde 2017, programas sociais implementados pela Prefeitura vêm mudando a vida da população que mais precisa, em meio a uma das maiores crises econômicas enfrentadas pelo Brasil.

São programas como PIIS (Programa de Incentivo à Inclusão Social) – Frentes da Cidadania, o Bolsa Cidadania, os Apoiadores no Combate à Dengue, o Jovem Cidadão e o PMAIS (Programa Municipal da Agricultura de Interesse Social) de distribuição de cestas de hortifrútis de pequenos agricultores.

O prefeito Edinho explicou as razões pelas quais a Prefeitura tem a Assistência e o Desenvolvimento Social como uma das prioridades de governo.

A previsão para 2019 é de que R$ 30 milhões sejam investidos nos programas sociais, o triplo do orçamento herdado por sua gestão para esse setor em 2017.

“Nós não podemos perder o olhar e a sensibilidade com a humilhação e o sofrimento do próximo. O nosso maior desafio nesse momento histórico é nos colocarmos no lugar do outro, é debater que tipo de sociedade nós queremos construir: indiferente ou com capacidade de indignação com a fome e a exclusão social”, afirmou.

Qualificação
Pelo Programa de Incentivo à Inclusão Social (PIIS) Frentes da Cidadania, pessoas em vulnerabilidade social recebem a oportunidade de inserção em cursos profissionalizantes e apoio no retorno ao mercado de trabalho.

Quatro turmas já foram recepcionadas no programa, totalizando 163 pessoas beneficiadas.

O público-alvo das “Frentes da Cidadania” são pessoas em vulnerabilidade social e que precisam de uma oportunidade, como, por exemplo, moradores em situação de rua, dependentes químicos em recuperação, mulheres vítimas de violência, mulheres arrimo de família, reeducandos que tenham cumprido pena e desempregados cujas famílias estejam em vulnerabilidade.

Alimento
O “Bolsa Cidadania” tem atuação semelhante, mas visa dar socorro imediato às famílias que, muitas vezes, não têm o que comer. São três eixos principais: segurança alimentar e nutricional, qualificação profissional, além do acompanhamento familiar nas áreas de Assistência Social, Saúde e Educação.

As famílias recebem um cartão que é utilizado para as compras dos itens essenciais para o sustento da casa. Em contrapartida, os beneficiários frequentam palestras e cursos.

O valor do cartão vai de 2 UFMs (Unidades Fiscais do Município) a 12 UFMs, dependendo da situação de vulnerabilidade e da renda por pessoa — atualmente, o benefício varia entre R$ 110,60 e R$ 663,60. Na primeira fase do programa, 145 famílias já receberam seus cartões.

Outro programa que oferece auxílio alimentar é o PMAIS (Programa Municipal de Agricultura de Interesse Social), por meio do qual a Prefeitura distribui 500 cestas de hortifrútis (frutas, verduras e legumes), semanalmente, a famílias carentes cadastradas em todos os Cras (Centros de Referência da Assistência Social).

O PMAIS leva alimentos de qualidade à mesa da população e também ajuda os produtores rurais, já que os hortifrútis são comprados dos agricultores familiares.

Primeira oportunidade
A primeira experiência no mercado de trabalho é o objetivo do programa “Jovem Cidadão”, que oferece estágio supervisionado e remunerado na administração direta, indireta e em órgãos públicos conveniados com a Prefeitura.

Até o início de outubro, já passaram pelo programa cerca de 230 estudantes.

Podem participar do programa estudantes com mais de 16 anos, matriculados e com frequência regular nos ensinos médio, técnico e superior.

O estágio é desenvolvido em áreas relacionadas aos cursos dos jovens e tem entre 4 e 6 horas diárias. A bolsa-auxílio recebida pelo jovem varia de R$ 280 a R$ 600 e o auxilia na manutenção dos estudos e em suas despesas do dia a dia.

Combate à dengue
Criado no início do ano, o programa de Apoiadores no Combate à Dengue tem objetivo de fortalecer as ações de limpeza pública e de combate ao mosquito da dengue.

Simultaneamente, pessoas em situação de vulnerabilidade social e que estão cadastradas nos Cras recebem a oportunidade de um trabalho temporário.

A ordem de chamada segue classificação socioeconômica.

Seis turmas já foram recepcionadas para o programa, com 316 pessoas trabalhando efetivamente no combate aos criadouros do mosquito Aedes aegypti e recebendo um auxílio da Prefeitura no momento em que mais precisam.

As informações são da assessoria de imprensa da Prefeitura de Araraquara.

LEIA TAMBÉM
+ Veja cursos técnicos gratuitos em Araraquara
+ Saiu a lista dos finalistas do Festival de Música Autoral de Araraquara!
+ Araraquara tem tratamento gratuito contra tabagismo



Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *