Cultura

Araraquara terá Casa Abrigo para acolher LGBTQIA+

A decisão foi tomara durante a votação da plenária temática do Orçamento Participativo

Sim, a cidade de Araraquara agora terá uma Casa Abrigo acolher LGBTQIA+!

A ideia é acolher lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros, travestis, transexuais, queers, intersexos, assexuais e todas as identidades sexuais e de gênero que estejam em situação de vulnerabilidade.

A decisão foi tomada a partir de uma votação realizada na última quarta-feira, 3 de julho.

A ocasião, que reuniu 70 pessoas, fez parte da plenária temática LGBTQIA+ do Orçamento Participativo e foi realizada no Centro de Referência e Resistência LGBTQIA+.

Durante a defesa da proposta vencedora, a população LGBTQIA+ relatou episódios de problemas familiares devido à falta de aceitação da orientação sexual.

Em alguns casos, os filhos foram tirados de casa e não tinham lugar para serem acolhidos. Por isso, a necessidade apontada para a criação da Casa Abrigo.

A assessora de Políticas LGBTQIA+, Filipa Brunelli, apresentou um relatório de atividades do Centro de Referência e Resistência desde a inauguração, em dezembro do ano passado.

São 271 atendimentos psicológicos, 67 encaminhamentos e assessoramentos, entre outros encontros, palestras e atividades culturais e sociais.

“Somos um dos primeiros locais do mundo a ter uma plenária LGBT. Devemos ter resistência e ocupar os espaços sempre”, disse.

TV ParticipAtiva

A comunidade LGBTQIA+ se reuniu ontem no Centro de Referência e Resistência para a plenária temática LGBTQIA+ do Orçamento Participativo 2019!Mais de 100 pessoas participaram e elegeram por unanimidade, a implantação de uma Casa Abrigo para pessoas LGBTQIA+. A última Plenária Temática será a Plenária da Cidade, marcada para o próximo dia 10 de julho, às 19 horas, no Teatro Wallace, que fica na Av. Espanha, 485, na região central. #araraquara201anos #cidadesolidariaeparticipativa

Publicado por Prefeitura de Araraquara em Sexta-feira, 5 de julho de 2019

Próximos passos
Em entrevista ao Comunica Araraquara, Filipa comentou quais serão os próximos passo e o prazo que a Prefeitura tem para tirar o projeto do papel.

“As etapas agora serão de planejamento, desenvolvimento e estruturação de um projeto, o que devo me empenhar nos próximos meses para estruturar.

O Poder Público Municipal tem até o dia 31 de dezembro de 2020 para entregar o instrumento funcionando”.

casa abrigo em araraquara

Filipa Brunelli é a assessora de Políticas LGBTQIA

Filipa também falou sobre o sentimento de ter mais essa conquista ao público LGBTQIA+ em Araraquara:

“É um sentimento de alívio, de felicidade, de vitória, e para a política pública, é um sentimento de contemplação, pois existia essa lacuna na rede.

Faço um trabalho forte para evitar o rompimento dos laços familiares, mas infelizmente às vezes isso ocorre, e quando ocorre, não tem um instrumento que acolha essa pessoa.

Agora teremos; é uma chance de dignidade e cidadania que será dada para essas pessoas.”

LEIA TAMBÉM
+ Confira as estreias dos cinemas
+ Árbitra de Araraquara é escalada pela Federação Paulista de Futebol!
+ Grupo Terra Celta fará show no Sesc de Araraquara

Araraquara segue o exemplo de outras cidades, como São Paulo, que tem a Casa 1.

Segundo uma pesquisa divulgada pela Prefeitura de São Paulo em 2016, 8,9% da população de rua se identificava como LGBT.

E, como na época não havia um lugar para acolher essa população, elas eram oito vezes mais vítimas de abuso sexual nas ruas.



Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *