Colunistas

Coluna Del Freitas: Às vezes é preciso conversar com você mesmo!

A partir de agora, Del Freitas também será colunista no Comunica Araraquara, todo mês trazendo textos sobre amor próprio e aceitação!

Resolvi falar um pouco de amor, mas não amor daquele que te faz sofrer e, sim, do amor que te faz bem, que enriquece sua alma, que te deixa mais feliz e que te faz mais forte.

Muitas pessoas sofrem diariamente e acabam ficando doentes – de tanto desgaste mental – afirmando que só serão felizes, se tiverem dentro dos padrões estéticos adequados, se conquistarem bens financeiros e se tiverem um ótimo desempenho intelectual.

Nesse cenário, conquistar o amor próprio parece ser algo difícil, sendo mais fácil se odiar, ter nojo de si mesmo e medo de nunca ser aceito por ser quem é.

O amor verdadeiro não é assim. Ele é livre como um pássaro, leve como uma pena, ele é respeitoso e sem culpa. Ele começa de dentro para fora e a primeira pessoa que deve ser atingida por esse amor é você.

Quando aprendemos a nos amar e aceitar quem realmente somos, momentos simples que aconteciam antigamente, se tornam momentos únicos e maravilhosos. Aquela característica que te faz diferente da outra pessoa, deve ser tratada com carinho, afeto e principalmente respeito. Respeito que nos torna único, pelo simples fato de existirmos.

Entendo que se aceitar de verdade não é fácil, pois nos deparamos com um mundo chato, onde não seguir os padrões rotulados pela sociedade automaticamente te isola dos restantes – os que se julgam “perfeitos”. Mas o “perfeito” existe ou é uma fantasia que inventamos para que o mundo nos ame?

Amar-se não está ligada à uma peça de roupa ou a um cabelo arrumado e às unhas feitas. Amar-se está relacionado diretamente em se conhecer. Conhecer suas características, seus defeitos, suas capacidades, saber exatamente quem você é e se aceitar sabendo tudo isso.

Depois que aprendemos a nos conhecer e damos valor aos pequenos detalhes que antes passavam despercebidos, descobrimos forças que nunca imaginamos possuir; descobrimos sensibilidades que estavam escondidas e percebemos o quão rico de sentimentos positivos podemos ser.

Nos conhecendo melhor, caminhamos por uma trilha de admiração interna, se orgulhando da pessoa que se tornou e valorizando cada conquista. Os pontos fracos que temos, se tornam pontos de partidas para tomarmos novas decisões e sabermos lidar com aqueles medos, que antes nos assustavam e hoje nos ensinam a nunca desistir.

LEIA TAMBÉM
+ Coluna Érica Alexandre: Turbantes – Uma História além da Moda
+ Coluna Tatiana Rodarte: Sexo Casual – dos desejos aos desapegos
+ Coluna Bruno Ribeiro: Ainda sobre o Oscar…
+ Coluna Fernanda Americano: Como usar o SUS em Araraquara?

Sem rótulos, sem medo, sem culpas, sem precisar se esconder, sem desespero, sem cobranças… E sim com um amor de verdade, de leveza, de entrega, de ser o melhor que podemos.

Às vezes é preciso conversar com você mesmo e ver que com amor, tudo é possível!

Delmária tem 24 anos, é dona do próprio corpo e está muito feliz com ele. Formada em Técnica em Publicidade e graduanda de Marketing e Propaganda, trabalha no Hospital Estadual Américo Brasiliense, onde é responsável pelo Marketing Institucional. Del é Miss Morada do Sol Plus Size. Miss? Sim, Miss. Tem dois canais de comunicação, onde passa suas ideias e o que acredita no amor próprio e na aceitação. Seu objetivo é mostrar para o mundo um outro lado dos padrões impostos pela sociedade e que precisamos de amor. Ela acredita que não exista um manual para que você acorde se amando, mas existem maneiras de amar cada pedacinho seu. Ela escolheu ser amada e não rotulada!

Email: delmaria.afreitas@gmail.com