Colunistas

Coluna Eloísa Helena: O que é essa tal Psicopedagogia?

Em sua primeira coluna, Eloísa Helena explica para que ela serve e como funciona?

O que é essa tal Psicopedagogia?

Para que serve e como funciona?

Sejam bem-vindos! Este espaço tem o objetivo de trocar ideias e trazer esclarecimentos sobre a função e a importância da Psicopedagogia para a aprendizagem das nossas crianças e adolescentes e assuntos correlatos. Um espaço para informar, perguntar, tirar dúvidas e dar dicas, de forma leve e acessível. Vamos lá?

Você sabe o que é e como atua o Psicopedagogo? Muitas pessoas ainda não conhecem ou só ouviram falar superficialmente sobre.

A Psicopedagogia é uma área do conhecimento que trabalha com os Processos de Aprendizagem humana, com o olhar voltado para a diversidade e a inclusão. De acordo com o código de Ética do Psicopedagogo em seu Artigo 1º, a Psicopedagogia “… é um campo de atuação em Educação e Saúde que se ocupa do processo de aprendizagem considerando o sujeito, a família, a escola, a sociedade e o contexto sócio-histórico, utilizando procedimentos próprios, fundamentados em diferentes referenciais teóricos.” disponível em https://www.abpp.com.br/documentos_referencias_codigo_etica.html.

O trabalho Psicopedagógico pode ser Institucional (em Escolas, Hospitais, Empresas…) ou Clínico e pode atender crianças, adolescentes, adultos e idosos.

O trabalho clínico envolve duas etapas: a avaliação e a intervenção. Inicialmente, na Avaliação, o Psicopedagogo faz uma investigação com a família, com a escola e com o sujeito para descobrir as possíveis causas da sua dificuldade de aprendizagem.

Para isso, utiliza testes parametrizados específicos de sua área de atuação, entrevistas, jogos e provas pedagógicas, com o objetivo de entender como esse indivíduo aprende e onde está localizada ou não, sua dificuldade.

Sempre que necessário e em função de suas suspeitas, ele pode sugerir à família a necessidade de encaminhamentos para outras especialidades.

Após as sessões de avaliação, é lançada uma hipótese diagnóstica.

Então, começa a segunda etapa: o processo de intervenção que se dá através de um plano de trabalho individualizado, por que cada criança é única e aprende de forma específica. O tempo de intervenção e a quantidade de sessões semanais variam de acordo com cada caso.

De acordo com o código de ética profissional, o Psicopedagogo não pode emitir laudo, nem receitar medicação e só aplica os testes permitidos à sua formação.

Da mesma forma, as demais especialidades não podem invadir a área da aprendizagem, pois é da competência do Psicopedagogo.

Para unir esses diferentes olhares, é tão importante o trabalho multidisciplinar, onde todos os profissionais envolvidos em um caso trabalham em conjunto para a evolução da pessoa.

Nesse sentido e de forma bem simplista, o Psicopedagogo trabalha com a aprendizagem; o Psicólogo com o comportamento humano; o Fonoaudiólogo com a fala, e assim sucessivamente.

Enfim, cada especialidade com suas especificidades. Elas se complementam e podem e devem trabalhar em conjunto, de forma multidisciplinar, sempre que se fizer necessário.

Você sabe há quanto tempo existe a Psicopedagogia no Brasil? Quais as possibilidades de ação? Vamos conversar sobre nos próximos textos.

eloísa helena psicopedagoga colunistaEloísa Helena de Oliveira é Psicopedagoga, Pedagoga – especialista em Docência da Educ. Infantil e Arte Educadora. Atua na área da Educação e Proteção Básica há de 13 anos. Ministra cursos de arte educação para professores. Finalista do Prêmio Itaú-Unicef/2013 (categoria médio porte), como Coordenadora de Projeto voltado para crianças com dificuldades de aprendizagem, em Matão-SP. Atualmente, se dedica ao atendimento de crianças e adolescentes no consultório de Psicopedagogia em Araraquara.

Contato: @eloisahelenapsicopedagoga
facebook.com/eloisahelenapsicopedagoga

Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *