Colunistas

Coluna Fernanda Americano: você sabe como deve ser feita a higiene feminina?

Na coluna deste mês, Fernanda Americano fala sobre funciona a vagina e como deve ser a higiene desta importante parte do corpo feminino

higiene íntima feminina

Ilustração: Priscila Barbosa

“Quando falamos em higiene íntima da mulher, logo já aparece vários tabus em relação ao tema e por isso ainda temos muitas dúvidas sobre o que é melhor para nossa vagina!

A mulher é massacrada pela sociedade desde sua infância quando o assunto é a higienização lá ‘de baixo’. Desde de pequenas somos ensinadas que a vagina cheira mal, que não devemos toca-la e que devemos fazer o máximo para deixa-la em um padrão limpo. Mas que padrão é esse e quais são os riscos que nos cercam ao se adaptar a esse padrão?

Hoje, e há um bom tempo, o padrão ‘limpo’ é uma vagina sem pelos e com perfumes artificiais. Para isso, existe uma indústria que financia e estimula esse padrão, que é a indústria dos sabonetes íntimos, lenços umedecidos íntimos e desodorantes vaginais. Mas será que eles realmente são bons para nossa vagina? Para saber precisamos entender como ela funciona.

A vagina é auto-limpante, ou seja, ela tem a capacidade de se defender sozinha de bactérias ou fungos que possam causar corrimentos e isso ocorre através:

– Pelos: Atuam como uma barreira física contra microorganismos. Quando nos depilamos com muita frequência, causamos microlesões que abrem as ‘portas’ para esses microorganismos.
– Flora bacteriana: Do mesmo jeito que existem bactérias ruins, existem bactérias boas e graças à elas nossa vagina está protegida todos os dias. Além de atuarem como proteção física, algumas delas ajudam na manutenção do ambiente vaginal, tornando-o inóspito para os microorganismos que causam doenças. O maior exemplo delas é o Lactobacillus acidophilus, que produz ácidos orgânicos, substâncias antibacterianas e antivirais e estimulam a resposta imune local.
– pH vaginal: É um pH ácido, como defesa, e sua manutenção ocorre principalmente pelas bactérias da flora que produzem ácidos orgânicos, como o ácido lático.
– Epitélio Vaginal: Epitélio é o tecido que reveste a vagina internamente ou seja, a mucosa. Ele contém células escamosas que secretam substâncias antibacterianas, antivirais e antifúngicas.
– Secreção vaginal e cervical (útero): Possui imunoglobulinas que ativam anticorpos, ou seja, produz substâncias que ativam a resposta imune local. Além disso, sua consistência impede que microorganismos subam para útero, ovários e o resto do trato genital.

Pois bem, esses hábitos e produtos de higiene íntima alteram toda a flora e esses mecanismos de defesa vaginal, além de conter substâncias que podem causar reações alérgicas. Qual é o jeito certo então?

SABONETE NEUTRO E ÁGUA!
Sabonete neutro na parte externa onde crescem os pêlos e SOMENTE ÁGUA entre os lábios vaginais e entrada da vagina. Pega o chuveirinho ou no próprio chuveiro e limpa todos os cantinhos com água. NUNCA deve-se limpar o canal vaginal com água (ducha vaginal), pois isso elimina toda a nossa defesa, como já foi explicado.

Fácil, né? Mas será que você ia acreditar nisso tudo, sem saber como funciona o seu próprio corpo? Por isso a ginecologia deve ser empoderadora; deve-se explicar primeiro como funciona o corpo da mulher e depois como cuida-lo com todo amor que ele merece! Faz o teste por 1 semana e veja os benefícios da região íntima saudável!

<3" Referências: http://www.scielo.br/pdf/ramb/v56n3/v56n3a26.pdfhttp://www.cengisa.com.br/images/stories/Aulas/Ecossistema_vaginal_e_fluxos_vaginais_fisiológicos.pdf


Quem faz a coluna?

Fernanda Americano tem 26 anos, é estudante de medicina da Uniara e criou a página Camomila – Saúde Feminina para ajudar as mulheres a reconectarem com o próprio corpo e entender os sinais dele. No Comunica Araraquara, uma vez por mês, ela falará sobre ginecologia autônoma e outros assuntos que envolvem a saúde da mulher.

Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *