Negócios

Moda em Araraquara: conheça a empresária por trás da Donna Pastina

Conheça Raquel Pastinna, moradora de Araraquara que há oito anos apostou em sua própria marca e investe na moda com a Donna Pastina

moda araraquara donna pastina

Raquel Pastina empreendeu com a Donna Pastina há oito anos

Você, provavelmente, já ouviu algumas histórias de quem jogou tudo pro alto para seguir um sonho. E sim, muitas destas histórias são reais e mostram que, com força de vontade e trabalho duro, é possível chegar aonde quiser. Foi exatamente o que aconteceu com Raquel Pastina, moradora de Araraquara.

Ela, que trabalhava com audiovisual, em 2010 decidiu mudar o caminho: ao invés de só entrar em sites de moda e consumir as marcas dos outros, por que não investir na sua própria marca online? Assim surgiu a Donna Pastina sua marca de acessórios, como bolsas de mão, clutches, carteiras, bolsas, faixas de cabelo e golas – tudo produzido por ela mesma com uma grande gama de tecidos.

Com esses oito anos de experiência na moda e muitas dificuldades – sim, os desafios foram muitos – Raquel viu seu negócio crescer e prosperar. Tanto que, para este ano, além de acessórios, Raquel irá apostar em vestuários femininos. Raquel bateu um papo com a nossa equipe, falou mais sobre os próximos projetos e deu dicas para quem também quer ter o próprio negócio. Confira!

Raquel, há quanto tempo existe a Donna Pastina?
Comecei as atividades com a Donna Pastina no final de 2010.

Em que momento da vida você decidiu criá-la? E como surgiu a ideia?
No momento em que parei para pensar que a vida é curta e temos que gastar o tempo que temos, fazendo o que realmente gostamos e nos faz feliz. Eu sempre garimpei no mundo virtual, sempre estava procurando produtos que não são encontrados por aí, e chegou uma hora em que decidi que gostaria de fazer parte desse grupo de pessoas que trabalha com o que gosta, fazendo produtos que poderiam ser comercializados virtualmente.

E como começou o seu interesse por moda?
Desde bem cedo, até acredito que demorou muito para criar coragem e começar a trabalhar com isso. Minha formação é em produção audiovisual, e trabalhei bastante nessa área, até chegar o momento em que resolvi jogar tudo pro ar e fazer o que sempre sonhei: criar, desenvolver e confeccionar produtos de moda.

Quais os produtos que você oferece?
Trabalho com uma grande variedade de tecidos e estampas, com os quais desenvolvo e confecciono acessórios, como bolsas de mão, clutches, carteiras, bolsas, faixas de cabelo e golas. O meu foco é em produtos de moda, mas também produzo alguns objetos de decoração. E agora estou deixando alguns tipos de produtos de lado (como as carteiras e clutches) e pretendo me aperfeiçoar e produzir peças de vestuário também.

São só produtos femininos?
Não são produtos exclusivamente femininos. As golas e bolsas eu vendo bastante para o público masculino também, além de produtos voltados para decoração.

Como funciona? A cliente escolhe a estampa ou as peças já estão prontas?
A maioria das peças já têm o tecido definido, de acordo com o tipo de tecido ou estampa que se encaixe adequadamente para o produto. O que acontece, é que têm clientes que sugerem estampas que lhe agradem para determinado produto, daí ofereço as opções que tenho em meu acervo, e muitas vezes vou em busca do tecido para confeccionar a peça escolhida.

Essa é a sua principal atuação?
No momento sim.

Você tem uma sede? Uma loja? Onde as pessoas podem comprar as suas peças?
Eu tenho o ateliê na minha casa e, desde que comecei, minha loja sempre foi virtual. Quando inciciei as atividades na Donna Pastina minha clientela era quase exclusivamente virtual, enviei muitas peças para todo o Brasil (e um pouquinho para o exterior também). Eu tive durante muito tempo lojas virtuais nas plataformas Tanlup e Elo7, quando as vendas nesses meios começaram a cair, optei por vender diretamente via redes sociais e também comecei a buscar clientela local. E sempre busquei expor meus produtos em eventos, desde o comecinho da marca, já participei de vários eventos em São Paulo, Santa Catarina e Paraná, e fiquei muito feliz quando começaram a surgir feiras e bazares aqui em Araraquara e cidades próximas para poder expor e divulgar meu trabalho. Tenho sentido cada vez mais a necessidade de poder mostrar (ao vivo) e comercializar meus produtos desta forma.

É muito difícil ser uma microempreendedora em Araraquara? Por que?
É sim! Exige muita determinação, disciplina, criatividade, organização e estar sempre buscando inovar em seus produtos, e claro, trabalhar as suas estratégias de marketing para manter sua clientela e buscar novos clientes. Por não ser uma cidade muito grande, o desafio é estar sempre criando novidades para manter o interesse do seu público consumidor, e é imprescindível procurar divulgar seus produtos também fora da cidade e realizar vendas online.

Para quem quer ter o próprio negócio, quais as dicas que você dá?
Em primeiro lugar ter certeza do segmento que quer seguir e a linha de produtos que pretende oferecer. Buscar a originalidade e não ficar atirando para todos os lados. Antes de começar um pequeno negócio, é importante que tenha se dedicado bastante aprendendo sobre o produto que pretende oferecer, além do estudo a prática é fundamental, ou seja, se quer oferecer um produto de qualidade serão produzidas muitas peças até chegar naquela que estará pronta para ser comercializada. Depois desse primeiro passo, daí sim é a hora de sentar e colocar em prática a administração do seu negócio. Ah, e claro, uma visita ao SEBRAE pode ser muito útil.

Quais os planos para a Donna Pastina para este ano?
Estou começando a desenvolver um trabalho de vestuário para este ano, que a princípio será bastante focado na modelagem feminina, e que será composto de algumas peças atemporais.

Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *