Novidades

Araraquarense conquista o mundo com tarô sem adivinhações

Ana Maria Rangel é taróloga e terapeuta sistêmica e já atendeu clientes até no exterior

Com certeza, você já deve ter ouvido falar sobre o tarô e a leitura de cartas. Mas você sabia que é possível fazer isso e não prever o futuro? Essa é a proposta da araraquarense Ana Maria Rangel, taróloga e terapeuta sistêmica.

Funcionária pública há mais de dez anos, a araraquarense começou a ler cartas para auxiliar as sessões de terapia que fazia durante a depressão e as crises de ansiedade.
“Eu fazia uma tiragem quando ficava muito preocupada com algo para saber se realmente era necessário me preocupar, procurar minha terapeuta, tomar alguma providência ou só desencanar. Com o tempo comecei a tirar as cartas para amigos próximos, que adoravam, até que um dia tomei coragem para começar a atender pessoas desconhecidas”.

Com os estudos sobre o tarô terapêutico, e formação como taróloga sistêmica e também uma formação como consteladora familiar (método terapêutico usado para identificar desordens que dão origem a sintomas em famílias, grupos ou organizações) Ana Maria foi além e estruturou Tarô Integrativo Sistêmico, que é uma mescla das vertentes divinatória, terapêutica e sistêmica do tarô.

Parece até contraditório ler cartas e não prever o futuro, mas Ana Maria explica o método, que preza o autoconhecimento e o olhar sistêmico: “O meu olhar para o tarô sempre foi sistêmico, porque eu comecei o meu processo de autoconhecimento com as constelações familiares. O olhar sistêmico é aquele no qual olhamos para além da pessoa que se consulta, incluindo o sistema familiar e outros aos quais essa pessoa pertença”.

O mundo entre as cartas

Ainda não se sabe a verdadeira origem do tarô – popularmente atribui-se aos ciganos a criação do tarô, talvez porque tenham sido eles os responsáveis por popularizar as. cartas de jogar, enquanto, outras lendas remetem à civilização egípcia ou até, ao povo de Atlântida, a “ilha perdida”. O que temos de concreto são registros históricos que dão notícia de cartas usadas para adivinhação desde o ano de 1377, segundo uma carta conservada no Museu Britânico, escrita por um monge alemão chamado Johannes, as proibições de jogos de cartas por toda a Europa por volta daqueles anos, e o primeiro do tarô de 78 cartas por volta do ano de 1415, em Veneza.

Suas imagens trazem saberes filosóficos, místicos e ancestrais que no decorrer dos séculos esteve associada a mistérios mágicos, mas que, a partir da leitura de cartas, é possível ter mais clareza sobre o nosso presente, como explica Ana Maria.

“Através da sabedoria expressa por cada um dos 78 arcanos e suas combinações numa leitura de cartas, podemos ter uma clareza maior sobre o momento presente e as relações de causa e conseqüência, que ajudam a entender como é que nos colocamos em situações difíceis, quais são as atitudes mais sábias e empoderadoras e quais são aquelas que não ajudam. Dessa forma, podemos olhar a situação em perspectiva, modificar nossas posturas problemáticas e até ter clareza sobre se é necessário procurar algum tipo de ajuda adicional para nos ajudar a desenvolver as habilidades necessárias para sair da situação, como terapias, consultoria especializada ou profissionais da área de saúde.”

Entre os muitos estudos que Ana Maria realiza até hoje, a taróloga e consteladora familiar ainda realiza os atendimentos online – atingindo não só o Brasil, como também o exterior.
São consultas por videochamada que são realizadas durante uma hora e quinze minutos. Mas para os curiosos de plantão, a taróloga já avisa: “conhecer as tendências para o futuro pode ajudar, mas se a gente não entende as causas do que está acontecendo e do que tende a acontecer, viramos expectadores das nossas próprias vidas. Tem um autor de tarô que eu gosto muito, que se chama Hajo Bhanzaf, que diz que quanto mais livre e consciente uma pessoa for, mais possível é que as previsões das cartas não se concretizem, porque elas se responsabilizam e escolhem se querem manter as coisas como estão ou se preferem mudar. E isso é muito bom.”

Turmas curso de Tarô
A Ana Maria ainda tem turmas abertas para quem quiser aprender mais sobre o tarô. Qualquer pessoa pode participar. O objetivo dela é difundir mais essa sabedoria que pode nos ajudar a seguir por caminhos menos conflintantes.
Tire uma carta
E olha só que bacana! Todo dia dá pra gente tirar uma carta através do site dela. Os textos foram produzidos pela Ana mesmo que se baseou na pesquisa que ela fez. Nunca é demais te uma ajuda nos nossos dia, hein? Acessa lá: http://anamaria.taro.cafe/

Serviço
Publicidade
Ana Maria Rangel – Taróloga e Consteladora Familiar
Instagram: @anamariarangeltarologa
Telefone: (16) 98161-8931
Site: http://anamaria.taro.cafe/

Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *