Cultura

Aula de circo só para mulheres é opção de entretenimento para as araraquarenses

A aula propõe um encontro de autoconhecimento através da palhaçaria feminista

circo para mulheres

Foto: Ronald Mendes

No próximo sábado, 16 de maio, às 17h00, o Circo di SóLadies promove uma aula experimental gratuita de Palhaçaria Feminista convidando mulheres trans e cis palhaças, mas também mulheres que ainda não sabem que são palhaças, a explorar a palhaça que habita nas profundezas do ser.

Mulheres que neste período de distanciamento se sentem sozinhas, independente de morar com outras pessoas e que precisam de acolhimento são o público com quem o grupo pretende dialogar nesta experiência virtual.

A proposta é que através do estudo da palhaçaria, as participantes se inspirem a respirar com menos pressão e adentrar no imenso e criativo universo do erro, do ridículo e da fragilidade humana.

Além de sentir os sabores e perfumes de estarem juntas e trocando experiências em um espaço pouco explorado: através de uma tela.

Como será?

Além de criar um espaço para esta relação de troca e para que jogos práticos de palhaçaria aconteçam, a aula experimental tem o intuito de apresentar o curso que será lançado em breve pelo Circo di SóLadies que pretende utilizar a palhaçaria para um mergulho na criatividade de cada participante, buscando novos caminhos para as relações.

Um encontro entre mulheres, com pinceladas e cores de teorias feministas, para que juntas descubram que fraquezas e inseguranças, são pérolas preciosas para a cura pessoal e para a transformação.

Ao contrário da palhaçaria tradicional, que muitas vezes traz na hierarquia sua graça e na exposição do oprimido sua escada para o riso, na palhaçaria feminista – mote da pesquisa do Circo di SóLadies – essa estrutura é desestabilizada, dando lugar a uma relação circular, dando lugar a mais escuta, empatia e menos competição, principalmente entre mulheres, algo já tão estereotipado.

“Acreditamos que a “sororidade ainda é poderosa” como nos diz bell hooks em seu livro “O Feminismo é para todo o mundo”. Sororidade é quando as mulheres se apoiam mutuamente, considerando as diferenças! E se pensamos e consideramos as diferenças, podemos ampliar esse uso para pessoas que se apoiam mutuamente. Solidariedade política e autoestima, são os pontos principais de nosso encontro” – explicam as SóLadies.

SóLadies

Com um canal no Youtube ativo desde 2015, o grupo também se dedica entre outras coisas a entrevistar mulheres circenses do Brasil inteiro com sua série chamada Inter.viu.

As entrevista vem acontecendo às segundas, quartas e sextas-feiras, sempre às 19h00. Além de valorizar o protagonismo feminino nas artes, a série é um portanto registro do feminino no circo, algo tão carente de documentação desde sempre.

Com uma equipe formada apenas por mulheres, o Circo di SóLadies utiliza camadas simbólicas e surpreende o público por tratar de temas que geralmente são considerados complexos, com muita delicadeza e poesia. Através do riso, inspiram reflexões importantes sobre a potência da mulher, dialogando e envolvendo o público de todas as idades, divertindo crianças, jovens e adultos.

Idealizado por Lilyan Teles e Tatá Oliveira, o Circo di SóLadies surgiu em 2013 a partir de inquietações sobre a desigualdade de gênero e a percepção de que havia ainda um pequeno espaço dado à mulher tratando-se de comicidade e linguagem do palhaço. Em 2016, juntam-se a elas as artistas Kelly Lima e Verônica Mello, ampliando o repertório do grupo.

Feito por mulheres palhaças, atrizes, musicistas, pesquisadoras e realizadoras é um circo em que as artistas desenvolvem o repertório através do improviso e do jogo cênico com elementos fundamentais para a conexão e interação com o público, a conquista do estado da graça, do riso e da reflexão sobre o papel da mulher na sociedade.

Saiba mais em: https://www.facebook.com/circodisoladies/

As informações do texto são da assessoria de imprensa.

Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *