Cultura

Estudante de Araraquara é eleito “Melhor Estudante do Bem” com homenagem para sua mãe!

Luis Eduardo Genaro relatou o preconceito que sua mãe já passou

estudante odontologia unesp araraquara

Fotos: Divulgação

Por dois anos consecutivos, Luis Eduardo Genaro, estudante de Odontologia da Unesp Araraquara, foi eleito o Melhor Estudante do Bem.

O jovem de 21 anos participou do concurso realizado pela Turma do Bem, que envolve estudantes de todo o país.

Com temáticas sociais, o concurso, que foi criado em 2012, tem o intuito de conscientizar os novos profissionais sobre a violência social sofrida por aqueles que não têm condições a um tratamento odontológico adequado.

E dessa vez, Luis escolheu uma pessoa muito especial para homenagear: a sua mãe.

Nesta entrevista para o Comunica Araraquara, o estudante de Odontologia da Unesp Araraquara conta o motivo de ter decidido contar a história da sua mãe, que sempre trabalhou no campo e sentiu na pele todo o preconceito por causa de seu sorriso.

Confira:

O que é o Estudante do Bem?

Este é o nome do projeto da ONG que se chama Turma do Bem, que mobiliza estudantes de odontologia de todo o Brasil através da produção de relatos de casos clínicos que evidenciem a realidade social e odontológica das pessoas.

Você foi campeão da edição de 2020? Quantos participantes tiveram?

Na verdade, participei na edição de 2018 e 2019, a edição de 2020 ocorrerá em novembro ainda. No ano de 2018 fui ganhador, porém não houve prêmio e foram seis finalistas. E no ano de 2019 também participei e ganhei novamente, sendo que foram quarenta e três finalistas de todo o Brasil e dessa vez teve prêmio.

E como foi o concurso? O que você teve que fazer para vencer?

Para participar do concurso é necessário ter a supervisão de algum professor universitário ou dentista que participa da ONG. Então, no ano de 2018 a professora Angela Cristina C. Zuanon e as dentistas Marcia Chinen e Giovana Foloni Leite foram as responsáveis por eu conquistar o título de Melhor Estudante do Bem ,que ocorreu na cidade de Poços de Caldas (Minas Gerais). Na época eu realizei um painel descrevendo o caso de um adolescente da cidade de Matão que a dentista e grande amiga, Giovana F. Leite, me concedeu. Nessa ocasião o que mais me emocionou foi o relato do adolescente que gostaria de um sorriso mais bonito para conseguir trabalhar e ajudar sua mãe e seus irmãos. Já no ano de 2019 que ocorreu em São Paulo, tive supervisão da professora Ticiana S. de Oliveira Capote, que foi quem me orientou a realizar o trabalho no qual se baseou em denunciar a desigualdade social e a realidade da saúde bucal das pessoas por meio de fotografia ou vídeo. Então, eu estava em casa conversando com minha mãe sobre o concurso, dizendo que não saberia como fazer o trabalho, foi aí que olhei pra ela e pensei em tirar uma foto, e escrever um texto contanto a história dela para participar do concurso.

Qual o prêmio?

O prêmio é uma cadeira odontológica que custa, aproximadamente, 15.000 reais.

Por que escolheu homenagear a sua mãe? Quanto teve escolher um tema, por que a escolheu? Gostaria que contasse um pouco da história dela.

Simplesmente escolhi homenagear a minha mãe pelo fato dela ser a mulher que mais amo na minha vida. Ela é guerreira, a pessoa que mais admiro, que sempre me apoia. Escolhi minha mãe, pois quis abordar o tema dos trabalhadores rurais, que engloba a história de muitos brasileiros, que apesar do trabalho árduo, infelizmente não possuem reconhecimento social e nem têm acesso à saúde bucal. Posso afirmar isso pois nasci na roça e sempre ajudei meus pais, trabalhando desde carpir as plantações até colhendo laranja quando era adolescente. Fui embora para a cidade estudar com o sonho de dar um futuro melhor para mim e meus pais. Minha mãe sempre trabalhou no campo, como retirante de leite, cortadora de cana, colhedora de laranja … e para complementar a renda, há mais ou menos sete anos, eu e ela fazemos doces para vender. Ela vende na cidade e eu vendo na faculdade.

Qual o seu maior sonho como dentista?

O meu maior sonho como dentista é devolver o sorriso das pessoas, continuar participando dessa ONG e ajudar os necessitados, assim como me ajudaram quando eu precisei.

E como vê o impacto social, e muitas vezes até psicológico, em pessoas que faltam dentes?

A baixa autoestima e a rejeição social é o maior impacto nas pessoas que possuem ausência de algum (ou alguns) dentes. Isso se agrava ainda mais com o bullying entre as crianças/adolescentes e no mercado de trabalho, no qual há muitos casos que a ausência de dentes ocasiona rejeição da pessoa em determinados empregos devido a aparência mutilada.

LEIA TAMBÉM

+ Estudantes de Araraquara criam jogo de cartas que valoriza a literatura nacional!

+ Estudantes de Araraquara elaboram projeto para explicar os rótulos dos alimentos

+ Auxiliar veterinário, costureiro e outros cursos disponíveis em Araraquara



Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *